Publicado em 08 d Julho d 2016

15º Festival Arte Serrinha começa amanhã em Bragança Paulista

Com o tema “Uma só Tribo”, o evento dirigido por Fabio Delduque abre com show do ator e músico Gero Camilo em homenagem a Belchior.

Foto: Fábio Delduque

Ana Teresa Braga Lonzi
A 15ª edição do Festival Arte Serrinha tem início neste sábado, dia 9 de julho, em Bragança Paulista (90 km da capital). Com o tema “Uma Só Tribo”, o evento que reúne música, arte, teatro, cinema e ações educativas foi idealizado pelo artista Fabio Delduque, seu irmão, o jornalista Marcelo Delduque, e o empresário e chef de cozinha Carlão de Oliveira, criador da cachaça Busca Vida.
Entre as atrações da primeira semana do festival, que segue até o dia 31 deste mês, estão os shows do ator e músico Gero Camilo, que homenageia Belchior, e do Projeto Clareira, de Benjamim Taubkin, e a inauguração da obra “Oca Xinguana”, de Bené Fonteles. As atividades do evento se concentram na Fazenda Serrinha, Galpão Busca Vida, Teatro Rural, Casarão Dois Irmãos e Cine Rancho. O festival conta com patrocínio das empresas Energisa, Sabesp e Bauducco por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo.
Na noite de abertura do festival, Gero Camilo faz uma homenagem a Belchior no Galpão Busca Vida, às 23h. No show “Alucinação”, o ator e músico é acompanhado por sua banda “Caroço de Aurora” e canta na íntegra, em novos arranjos, o álbum “Alucinação”. O disco, que completa 40 anos em 2016, traz sucessos que consagraram o cantor cearense como “Apenas Um Rapaz Latino-Americano", "Como Nossos Pais" e "Velha Roupa Colorida".
No domingo, às 18h, no Teatro Rural, o Projeto Clareira – parceria entre o pianista e arranjador Benjamim Taubkin e os músicos Neusa de Souza, Mazé Cintra, Ari Colares, João Taubkin, Sapopemba e Verlúcia Nogueira – apresenta canções tradicionais de várias regiões do Brasil, como as “Caixeiras do Divino”, do Maranhão, “Moçambique”, de Minas Gerais, “Ciranda Pernambucana” e “Sambas-de-Roda”, do recôncavo baiano.

ARTE
No dia 10, às 15h, em um ritual à beira de uma fogueira, será inaugurada a obra “Oca Xinguana”, concebida por Bené Fonteles e construída por índios da tribo Yawalapiti, do Alto Xingu, na Fazenda Serrinha. Além de morada tradicional, a oca representa a casa ancestral e primordial ao unir a terra e o céu para o povo Yawalapiti.
O trabalho passa a integrar o Parque de Instalações da Fazenda Serrinha, que já conta com obras permanentes de artistas como José Roberto Aguilar, Luiz Hermano, Gustavo Godoy, Eduardo Srur, Hugo França e Edith Derdyk e do próprio Fonteles, artista convidado da Bienal de São Paulo 2016.
A programação de oficinas, workshops e vivências do 15º Festival Arte Serrinha tem três atividades que acontecem de 11 a 16 de julho.
O artista Bené Fonteles realiza a oficina “Oca dos Sentidos”. Dentro da “Oca Xinguana”, durante uma semana, os participantes irão dormir em redes e se alimentar com as mãos, vivenciando todos os sentidos que o corpo assimila e os que o transcende. A oca será um espaço para reconhecer a origem humana e divina, da terra e do céu, e também lugar para intercâmbios entre as pessoas e a natureza da Fazenda Serrinha.
Carlos Fajardo e Dudi Maia Rosa comandam a “Residência em Artes Plásticas”, que dá ao aluno a oportunidade de desenvolver projetos individuais ou coletivos em artes visuais por toda a área da fazenda. Já Caio Reisewitz realiza a oficina “Antes de ver aquilo que já foi visto”, que aborda o uso da fotografia como linguagem.

CINEMA
A noite de estreia da 15ª edição do festival também terá cinema. O Cine Rancho, localizado na Fazenda Fortaleza, vizinha à Serrinha, terá a exibição gratuita de “Rio Cigano” (2015), de Julia Zakia, às 21h30.
Inspirado na narrativa oral cigana, com temas contemporâneos como o consumo da vaidade e as linhas de amor atravessadas pela amizade entre as personagens, apresenta Kaia, uma cigana que atravessa mundos para salvar sua amiga de infância de uma terrível condessa.
MAIS ATRATIVOS DA FAZENDA SERRINHA
Durante o festival, a Fazenda Serrinha fica aberta todos os dias para visitação gratuita, das 10h às 17h. Nesse período, os educadores irão propor atividades no Parque de Instalações. Aos sábados e domingos, há ainda visitas guiadas às 11h e 15h.
No restaurante da Fazenda Serrinha são servidos diariamente café da manhã, das 8h às 10h, almoço, das 13h às 15h, e jantar, das 19h às 20h30. O Bar do Ateliê funciona das 17h à 0h, com saraus culturais. A propriedade dispõe de hospedagem em as dependências em quartos coletivos ou individuais.
Mais informações: www.arteserrinha.com.br

Deixe seu comentário

Para postar um comentário, você precisa de uma conta.
Faça login
ou
Registre-se

Enquete

  Você é contra ou a favor do comércio em praças públicas?

A FAVOR
CONTRA

Última Edição

  Digite seu email abaixo para receber mensagens periodicamente com nossas últimas noticias:


Notícias por Data

Jornal O Atibaiense ©

Rua Deputado Emílio Justo, 280 - Nova Aclimação - Atibaia - SP - (11) 4413-0001